Visita aos Grupos de Crisma de Vila Nova de Poiares e Almalaguês

À semelhança do ano anterior, o Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil de Coimbra pretende acompanhar mais de perto os grupos de jovens existentes na nossa Diocese.

Para tal, promove junto dos grupos um conjunto de visitas/ encontros com o objetivo de conhecer as diferentes realidades, auxiliar os seus projetos, refletir sobre os seus problemas, divulgar o plano de atividades, conviver e partilhar!

Foi nesse sentido que a equipa da Região Centro do SDPJ realizou no último trimestre de 2014 duas visitas aos Grupos de Crismas de Vila Nova de Poiares (a 18 de Outubro) e de Almalaguês (21 de Dezembro), onde abordou o tema “E depois do Crisma?”.

Aqui ficam os testemunhos das visitas realizadas:

           “No início, quando nos disseram que eram um grupo de pessoas que vinha fazer algumas atividades connosco eu fiquei a pensar para mim: "Fogo vim desperdiçar o meu sábado a fazer ‘joguinhos’ com pessoas que não conheço de lado nenhum? Seca!". Isto foi o que me veio à cabeça mal tinham começado a falar. Começámos por jogar um jogo simples, do ‘Pónei’ (penso eu que se chamava assim); no início estávamos todos muito envergonhados, incluindo eu, mas bastou um de nós dar o passo em frente e participar, para todos os outros irem atrás e penso que foi assim que todos nós participámos de certa maneira. Foi muito divertido. Depois disto eu ainda me perguntava: ‘O que estão mesmo a fazer aqui?’. Ao fim de outro jogo do ‘PIM-PAM-PUM’, senti-me mais descontraída e de certa forma deixei-os ‘entrar’ naquele espaço que era a nossa ‘salinha’ das reuniões do crisma.

Todos se apresentaram: o ‘Litos’, a Hélia, a Vanessa, a Cecília e a Joana, inclusive o senhor padre e até mesmo nós; todos nos contaram uma parte da sua vida.

Tudo normal até aí; era uma reunião diferente no meu ponto de vista. Mas a meio da reunião eu percebi, ou julgo ter percebido, que a mensagem que queriam deixar era colocar-nos a pensar/refletir sobre ‘O que fazer depois do crisma? Qual os nossos projetos? Quererei eu continuar este caminho?’.

Acho que falo por todos quando digo que estas perguntas não foram em vão. Quando nos questionaram eu calei- me e não disse nada; alguns dos meus colegas disseram que estavam ligados a isto (Crisma/Igreja) pelo facto de os pais os obrigarem, ou por influências de antepassados, ou pelo facto de Jesus Cristo lhes dizer alguma coisa.

No início daquela reunião que revelou ter uma grande importância para mim, andava lá porque adorava o facto de estar com os meus amigos e conviver com eles e penso que era a maior parte da razão pela qual todos estávamos ali. E eu nunca tinha pensado em ‘continuar o caminho’, dito desta forma.

Por fim, vimos um pequeno filme que me chamou atenção e penso ter passado uma mensagem importante para todos nós, como se fizesse um click. A pergunta que nos foi lançada foi ‘Até onde queremos voar?’ e cada um teve de escrever a resposta num pássaro feito de origami e no fim poderíamos partilhar com todos.

Mas o que eu quero dizer com tudo isto é que nenhum de nós até esta inesperada visita sabia o que queria fazer depois do crisma e provavelmente nenhum voltaria a por os pés na Igreja. Mas depois disto acho que ficámos todos com uma certa ideia na cabeça. Não faz sentido uma pessoa andar 10 anos nisto e depois desistir; cada reunião, cada ano que passou com cada catequista que nos acompanhou, foi-nos complementando. Penso que sou como sou devido a Igreja, às coisas que vamos aprendendo ao longo destes anos na catequese e que nos vão tornando pessoas melhores.

Achei fantástica a ideia de criar um grupo de Jovens! Tenho receio é que não tenha tempo para tal, mas a ideia agradou -me não só pelo convívio, como pelas atividades que nos disseram que poderíamos fazer. Pensando bem, esta espécie de reunião fez-me querer ajudar os outros tal como eles me ajudaram a mim, ou seja, fornecer um pouco daquilo que aprendi este tempo todo, com alguém que está completamente a ‘leste’ deste mundo. Abrir os olhos às pessoas…

Por tanto, ‘O que quero fazer depois do crisma?’ eu sinceramente não sei, mas esta ‘abertura dos olhos’ por assim dizer, que me fizeram hoje, fez- me não querer desistir depois do crisma.

Acho que só tenho agradecer o facto de terem vindo partilhar o que sabiam connosco e penso que todos os jovens como nós que estão a passar por esta situação deviam ter uma reunião/visita destas. Tenho a certeza que muitos ficaram a pensar nisso, tal como eu.”

Andreia Jesus

Vila Nova de Poiares

 

No passado dia 21 de Dezembro de 2014, a equipa do SDPJ Coimbra esteve reunida com os jovens da região de Centro, na freguesia de Almalaguês. Este encontro teve lugar na igreja de Assafarge das 09h30 às 13h00, onde os jovens participaram em variadíssimas atividades, nomeadamente Eucaristia, jogos e conversação relacionados com o tema “E depois do Crisma?”, apresentação do SDPJ e dos jovens. Todos os jovens ficaram com a ideia do que é concretamente o Crisma e do que se pode fazer depois desta etapa.

 

Francisca Silva

Almalaguês